Garoto de programa Porto Alegre chupou policial pra não pagar multa

Olá meu nome é Guga tenho 24 anos e moro em Porto Alegre a 6 anos, vim pra cá fazer faculdade e acabei me tornando garoto de programa. Tudo começou quando cheguei na cidade e fiz algumas amizades, principalmente na faculdade.

Um dia me convidaram para uma sacanagem na casa de um dos nossos colegas de classe, mas ao chegar lá descobri que era uma festa apenas de boys.

Até então eu me considerava super hétero, mas no meio da putaria me pagaram pra fazer um streap e por fim acabei transando com um dos garotos por dinheiro.

De lá pra cá comecei a atender várias pessoas, casais, mulheres e homens também. Principalmente homens encubados que queriam se realizar e tinha medo de se revelar. Foi em uma dessas que isso que vou contar para vocês aconteceu.

Em um sábado a noite, recebi uma ligação de um cliente, que queria uma noite comigo em um motel que fica próximo ao centro da cidade. Ele já estava no motel me aguardando, por tanto eu não poderia me atrasar, resolvi pegar meu carro e seguir para meu destino.

Na pressa, acabei excedendo um pouco o limite de velocidade e furando alguns sinais, achando que tudo ia da certo, foi quando dei de cara com uma viatura da polícia. Eles me deram sinal para encostar e eu parei.

Dois policiais desceram do carro, um moreno alto e bem forte, veio até meu carro, o outro ficou próximo a viatura encostado. Ao se aproximar o policial pediu meus documentos e o documento do veiculo. Entreguei tudo para ele e fiquei de olho naquele volume enorme que ele tinha nas calças do seu uniforme.

Ele passou os documentos para o amigo dele conferir no rádio da viatura, e voltou até o meu carro, perguntou se eu era o famoso Guga.

Policial: – Você é o Guga? Que faz programa?

Eu: – Sim, sou eu.

Policial: – Humm…

Ele foi até o amigo dele, conversou com ele e voltou até meu carro, pediu pra eu descer do carro e entrar na viatura. Confesso que fiquei com medo no começo, achei que ele iria fazer algum mal pra mim.

Começamos a conversar e ele disse que a gente ia da a uma volta. A gente foi até uma rua um pouco mais escura e menos movimentada de onde eu tinha sido abordado. Chegando lá ele falou comigo:

– Olhá, eu sempre ouvi falar de você através de um amigo, ele me contou o que você fazia e eu fiquei muito interessado. O acordo é o seguinte, quero uma mamada, até eu gozar na sua boca e você vai ter que engolir toda minha porra, ai eu te libero sem multa.

Concordei imediatamente, afinal de contas, eu tava louco pra sentir aquele enorme volume que havia visto na calça dele.

Passei pro banco da frente enquanto ele tirava o pau pra fora, ele afastou mais o banco pra trás e eu comecei a chupa-lo. O cacete dele tava depiladinho, suas bolas durinhas e aquele caralho que devia ter aproximadamente uns 18cm perfurava minha garganta.

A cada chupava que eu dava nele, sentia o sabor do seu pau misturado com o líquido que jorrava da sua rola em minha boca. Comecei a bater uma punhetinha pra ele mas logo fui interrompido por ele:

– Epa, sem trapaças, só pode chupar.

Continuei chupando ele, lambuzando minha boca e minha cara naquele pau gostoso até que ele gozou por completo na minha boca, imediatamente comecei a chupar e engolir cada gota de porra que saia da pica dele. Parecia que não iria mais parar, foi quando terminei de chupa-lo e ele me levou de volta.

Me devolveu meus documentos e me liberou. Foi uma noite incrível e ainda deu tempo de atender meu cliente, mesmo com 30 minutos de atraso.

Compartilhe:

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *